Booking.com

Guia de Bali: Como chegar, Visto, Transporte, o que fazer

Bali sempre me deixou curiosa e intrigada, já que ouvi opiniões muito diferentes sobre a ilha antes mesmo de sonhar que ia visitá-la. Quando eu comecei a pesquisar como chegar, visto e o que ver, entrei em colapso porque percebi que Bali era enorme, não sabia como montar o roteiro e muito menos como ir de um lugar para o outro, e, por mais que tentemos planejar e entender tudo antes, você só tem uma ideia real de um destino quando pisa nele, vive as experiências e supera os perrengues. Decidi fazer esse post com dicas de Bali para tentar ajudar um pouquinho quem está planejando uma viagem para lá ou para quem pretende ir um dia.

Um conselho de uma pessoa que se apaixonou um mês e meio pela Indonésia: vá de coração aberto, sorria para as pessoas, tente conhecer a cultura, a dança e a comida local. Apaixone-se pelos templos, pelos campos de arroz, pelas ruazinhas, pelas árvores, estátuas e todos os encantos que Bali tem para te oferecer. Depois de passar por seis países na Ásia, a Indonésia foi a última parada e, sinceramente, não poderíamos ter feito algo melhor.

Importante para o seu planejamento: Bali é grande!

Apesar de ter lido os posts no blog da Mari Campos e do Nós no Mundo (blogs com ótimas dicas) que Bali era grande, que era necessário calcular os deslocamentos, eu só tive a dimensão quando cheguei lá. Entenda: Bali é uma ilha com várias cidadezinhas, vilas e regiões, cada uma delas com a sua identidade. No mapa acima vocês poderão ver os lugares que visitamos, todos eles no Sul da ilha, com exceção de Ubud, que fica no centro, fizemos esse roteiro em 15 dias. Agora, imagine se você tem 7 dias e decide ir para a região no norte, uma no sul da ilha e outra no centro? Pode ser possível, mas é bem cansativo. Organize-se em função do que você quer ver e fazer por lá. Por exemplo, se você quer subir o Kintamani e ir na floresta dos Macacos, Ubud é uma parada obrigatória. Se você gosta de surfar, Uluwatu é a sua praia, e por aí vai.

Não transforme a sua viagem em uma maratona. Leia, defina bem o que você quer ver e viver em Bali e vá com calma! 🙂

Como chegar

dicas-de-bali

Se você está pela Ásia, a forma mais rápida de chegar é de avião, o aeroporto se chama Denpasar Airport (também conhecido como Aeroporto Internacional de Ngurah Rai). Nós viajamos pela Air Asia, uma das melhores low cost do mundo . Para quem estiver saindo do Brasil, diversas companhias aéreas fazem o trajeto, mas sempre com escalas, entre elas a KLM, Air France, Qatar e etc.

Visto

dicas-de-bali

O visto é necessário, mas é on arrival, isso quer dizer que  ele é obtido nos aeroportos no momento da sua chegada. Nós entramos na Indonésia por Yogyakarta e foi bem… precário o processo, já que o aeroporto é pequenininho, tanto que não tinha nem esteira para as malas. Nós saímos do avião, entramos no aeroporto por uma portinha e justo do lado esquerdo havia uma janelinha com o preço do visto: 25 dólares, válido por 30 dias e 10 dólares para 7 dias. Tudo o que você precisa é ter um passaporte válido por no mínimo 6 meses antes de entrar na Indonésia, e oficialmente eles pedem uma passagem de volta, mas nós nâo tínhamos e nem nos pediram. Para o pagamento de taxa, prepare 25 dólares trocados ou os 10 dólares e confira se as notas estão em bom estado. Pagamos a taxa, nos deram um papelzinho de comprovante e dois formulários para preencher. Fomos para uma fila que andou rápido e chegou a nossa vez; eu estendi a mão com o passaporte, comprovante e foto e ele na hora me devolveu a foto e carimbou o meu passaporte e colou um selo de chegada. Assim, rápido, indolor e desorganizado, mas o importante é que deu certo.

Moeda

A moeda oficial é a rupiah (Rp). Para fazer a conversão mais facilmente, eu sempre calculava de 100.000 rupiahs=R$20,00 aproximadamente. Portanto, se você sacar 1 milhão de rupiahs, não se desespere, são R$ 190,00. O dólar não era aceito normalmente, mas no aeroporto de Bali assim como por toda a ilha você encontrará ATMs (caixas eletrônicos) e casas de câmbio. Nós procurávamos sacar sempre 2 milhões, que era o limite de saque e assim ão pagávamos várias taxas de saque, fora o IOF, né?

Quando ir

dicas-de-bali

A baixa estação é de Janeiro a finais de Junho e  de mediados de Setembro até o começo de Dezembro. A alta estação deixa Bali completamente lotada e os preços dos hotéis e produtos chegam a dobrar (escutei isso de vários donos de pousadas, locais e da minha colega que vive lá) e vai de Julho até mediados de Setembro. Caso você vá nessas datas, prepare-se para a estação seca, com muito calor, preços um pouco mais salgados e uma certa dificuldade em conseguir acomodação.

Caso você queira evitar a chuva (é meio óbvio), a estação chuvosa vai  de Outubro a Março. Nós chegamos em Bali no dia 28 de Março e ficamos na região por um mês e meio e pegamos somente 3 dias de chuva, ou seja… uma maravilha! Abril e Maio são ótimos meses para visitar Bali, essa é a minha dica :).

Transporte

dicas-de-bali

Não conte com transporte público em Bali. As opções mais seguras são: alugar um carro com motorista ou alugar um carro, mas lembre-se que terá que dirigir na mão inglesa. Motos também são uma opção, o aluguel custa em média R$10,00 o dia + a gasolina, que você encontrará em garrafas de vodka Absolut pelas estradas e custam em média R$3,00, mas acho perigoso para longas distâncias e sem conhecer muito bem a estrada. Outra boa pedida são as vans que as agências pequenas disponibilizam, você vai um pouco apertado, vai parar de hotel em hotel, mas vai economizar em comparação a um táxi. Para ir de Ubud a Kuta por exemplo, nós pagamos algo como R$ 15,00.

A dica valiosa da amiga local foi: se quer evitar ser enganado, chame apenas os táxis da rede Blue Bird. Eles não vão das voltas e são seguros. Para pedir o táxi, você pode avisar na recepção do seu hotel ou baixar o aplicativo, eles explicam nesse link como fazer.

Onde Ficar

dicas-de-bali

Como estamos falando de uma ilha com várias cidades e vilas, essa pergunta é um pouco genérica. O que posso falar para ajudar é dizer onde me hospedei em algumas das regiões que visitei. Lembrando aos queridos leitores desse amado blog que ao reservar com o booking.com através dos nossos links, vocês não pagam nenhum valor adicional e nos ajudam a manter o blog vivo; se quiserem entender a nossa política de parcerias, visite a sessão “Sobre Nós”.

Bem, vamos ao que interessa: onde se hospedar em Bali?

Kuta

Só visitamos, mas é uma das regiões com mais hotéis conhecidos para nós, ocidentais. Para vocês terem uma ideia, o Mercure Kuta Bali é super bem localizado e tem diárias a partir de R$197,00 em baixa temporada. Para reservar, é só clicar nesse link.

O Pullman Bali Legian Nirwana é outra boa opção e tem diárias a partir de R$370,00, leia as reviews  faça a reserva no booking aqui.

Seminyak

Uma das regiões mais badalas e cools de Bali também tem uma grande oferta de hotéis. Caso você esteja em uma viagem romântica e queira comemorar, o W Retreat & Spa Bali é uma das minhas opções favoritas, as diárias custam a partir de R$1.000,00. Para conhecer o hotel e fazer a sua reserva, este é o link.

Caso o budget esteja ajustado, o Taman Rosani pode ser uma opção, com diárias a partir de R$50,00 e quartos limpos, espaçosos e com ar condicionado. Nós nos hospedamos lá e recomendamos o quarto, o wifi funciona bem, mas o restaurante é ruim, então use o hotel apenas de base, como nós fizemos. Há varios restaurantes gostosinhos perto, inclusive um tailandês ;).

Candidassa-Manggis

Foi onde aconteceu o nosso casamento, especificamente no resort Alila Manggis (leia a nossa experiência aqui), que recomendo de olhos fechados, já que o custo-benefício é excelente; é um resort 4 estrelas e você pode encontrar quartos a partir de $170,00. A localização é estretégica, perto do pier de Padang Bai, uma região ótima para mergulhos também.Caso você queira ler o nosso post sobre o hotel, clique aqui. Para reservas, aqui.

 Ubud

A minha prioridade em Ubud era fazer as aulas de yoga na Radiantly Alive e por essa razão, eu peguei uma pousadinha simples na rua da escola e infelizmente não lembro o nome, mas ficava na Rua Jl. Jembawan. Ubud tem centenas de homestays, que são casinhas pequenas de locais, com uma estrutura simples, mas encantadora que oferece acomodação a partir de R$50,00 a noite.

Caso você queria um lugar com mais estrutura, o Villa Arys foi bem recomendado e tem diárias a partir de R$ 230,00 e é um charme, além de bem localizado!

Aproveite para…

Aprender e praticar Yoga

yoga-em-bali

Ubud é famosa mundialmente por ser um lugar original e muito frequentado por mulheres, principalmente depois do boom de “Comer, Rezar, Amar”. Antes de conhecer a cidadezinha, eu imaginava um lugar formado apenas por campos de arroz infinitos, curandeiras e restaurantes cheios de mulheres, conversando sobre as suas aventuras e o que as fizeram chegar até lá. Bem, parte do que eu imaginava era certo: Ubud tem campos de arroz, ruas organizadas com lojas maravilhosas e restaurantes onde as mulheres se reúnem depois das suas aulas de Yoga; é o lugar ideal para praticar ou aprender um pouco sobre a arte da yoga, á que é um lugar tranquilo, com diversas escolas, professores do mundo inteiro e pessoas com vontade de praticar e viver a experiência. Eu recomendo imensamente a experiência e a escola que frequentei, a Radiantly Alive.

Alugar uma  bicicleta ou moto

dicas-de-bali

A sensação de liberdade de alugar uma bicicleta ou moto é sempre maravilhosa. Recomendo alugar uma bicicleta se for visitar a região de Ubud, que é mais tranquila e é normal. Nós alugamos a moto em Seminyak, no sul da ilha, já que a região tem bastante carro e engarrafamento, mas evitamos rodar muito com ela (o máximo que fizemos foi 30 km), já que a mão inglesa e a loucura dos motoristas em Bali nos dava um pouco de medo, mas valeu a pena a experiência. E detalhe: o Átila nunca tinha conduzido uma moto, aprendeu em Bali e arrasou! (mas não recomendamos aos leitores que façam o mesmo, afinal…somos um pouco doidos mesmo).

Visitar Templos

templo-de-uluwatu

Eu não tenho ideia de quantos templos existem em Bali, mas sei que há dois famosíssimos: o de Tanah Lot e o Templo de Uluwatu. Não visitamos o de Tanah Lot pela distância, mas o de Uluwatu foi uma surpresa e tanto. Além dos grandes templos, existem os pequeninhos e locais, que estão espalhados por toda a ilha. Você vai se acostumar a ver os balineses elaborando e levando as suas oferendas três vezes ao dia no templo mais próximo; é uma oportunidade única de vivenciar um pouco da fé desse povo tão acolhedor.

Comer bem

dicas-de-bali

São milhares de restaurantes, desde os locais, onde você pode comer na casa de um local, passando pelos naturebas de Ubud, com comida orgânica, fresca e saborosíssima até os restaurantes mais requintados, com chefs internacionais. A minha região favorita e onde comi melhor foi Ubud, sem dúvidas. Se eu posso especificar o meu favorito, é o Kafe (Jalan Hanoman 44b, Ubud), que tem aquela vibe relaxada, com sofás e mesas baixinhas, música ambiente e com um ótimo atendimento. Prove um dos sucos energizantes e o Pasta Pesto deles, é o melhor que eu comi na vida (e foi aprovado por um amigo meu que morou na Itália por anos)!

Se você quer provar a comida local mas tem um pouco de medo, comece pelo nasi goreng, que nada mais é que um arroz frito com vegetais, e frango ou frutos do mar. Se preferir com noodles, peça um mie goreng (o prato da foto). Outro prato popular é o Gado gado, uma salada de vegetais servida com um molhinho de amendoim um pouco picante.

Ver um show de Música Balinesa

dicas-de-bali

Essa foi uma das experiências culturais mais lindas em Bali. Recomendo o espetáculo folclórico realizado quase todas as noites (exceto sexta) no Cafe Lotus, a partir das 19:30. A música é tocada ao vivo, por um grupo de locais sorridentes, que parecem se divertir enquanto coordenam os sons e movimentos com os seus instrumentos. Havia uma típica porta balinesa no meio do cenário, de onde os dançarinos saíam e se alternavam. As roupas e a maquiagem, tipicamente balineses, atenuavam ainda mais a performance, sempre centrada no movimento dos olhos, ombros, mãos e pés e o quadril intacto. Foi uma experiência e tanto, daquelas que te faz sentir um pouco mais próximo a uma cultura.

No site do Cafe você poderá ver a programação, que custa 80.000 rupiahs (aproximadamente R$15,00).

Curtir a praia

dicas-de-bali

Sim, Bali tem praias lindas. Uma das nossas favoritas foi Uluwatu, mas vale a pena ler o nosso post sobre as praias para conhecer um pouco das nossas favoritas.

Eu poderia continuar a lista com itens como “Escalar um vulcão”  ou “Conhecer a Floresta dos macacos”…a quantidade de experiências que você pode viver em Bali é infinita e, como eu disse no começo, eu vivi a viagem com calma, fazendo o que tínhamos vontade e sem cumprir um roteiro definido. Espero que esse post te ajude a se preparar para a viagem e que você volte e nos dê dicas do que fazer em Bali nos comentários! Boa viagem!